Copagril
Silvana Nardello Nasihgil

Para ser feliz é preciso ter atitude!

Em qualquer época da vida é possível fazer escolhas sobre aquilo que desejamos viver.

Quando agimos sem consciência, aceitando todo tipo de atitudes dos outros, estamos dando carta branca para entrarem na nossa vida e trazerem consigo de amor a “vendaval”.

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

Quando nos permitimos aceitar tudo o que vier, perdendo de vista nossos desejos, sonhos, a nossa realidade e aquilo que desejamos viver e construir, fatalmente estamos nos permitindo sofrer.

Como nós, os outros também possuem um ideal de vida, mas concorremos com a possibilidade do ideal do outro não ser nem parecido com o nosso. Vamos seguindo, sem perguntar, sem questionar, sem abrir para o outro quem somos e o que desejamos para a nossa realidade… e a vida vai seguindo entre trancos e barrancos. E para nos consolarmos, passamos a reclamar, e insatisfeitos na “ebulição” da relação, a vida fatalmente irá “ferver” e sucumbir.

Ninguém precisa se submeter ao capricho de outra pessoa. É inaceitável para a saúde mental que alguém se perca de si para agradar, concedendo ao outro o direito de ser dono da sua vida, ditando regras e exigindo o que não se tem ou não se concorda em dar.

Na falta do conhecimento daquilo que realmente desejamos viver, e talvez por algum medo que possa paralisar, deixamos de nos posicionar. Então, o outro será só o outro e agirá de conformidade com os modelos de comportamento que estão enraizados nele. Muitas vezes o abuso físico, mental e psicológico começa pela falta de atitude, de posicionamento, de colocações claras daquilo que não é aceitável… e vai crescendo até chegar às vias de fato. A permissividade vai dando espaço para absurdos que nunca foram possíveis de se imaginar, mas, por medo de perder o outro, se tornam aceitáveis em momentos de fragilidade emocional.

Então, todos os dias são novas oportunidades de fazer diferente, de olhar para si e buscar aquilo que ainda resta de amor próprio, olhar para si como alguém que tem todo o direito de ser feliz e ter a certeza de que existem coisas incríveis para serem vividas, mas que elas só estão esperando pela oportunidade.

Para que as oportunidades tenham chances de chegar, elas precisam que se faça algo muito pontual: que se tome atitude!

 

Silvana Nardello Nasihgil é psicóloga clínica (CRP – 08/21393)

silnn.adv@gmail.com

 

 

 

TOPO