Copagril
Tarcísio Vanderlinde

Al Khazneh

 

“Al Khazneh” é transliteração de palavra árabe que significa “O tesouro”. Trata-se de uma das inúmeras construções romanas de templos na antiga cidade de Petra, uma tumba escavada na face de um penhasco que recebeu uma fachada helenística. O atrativo cultural localiza-se na Jordânia, um país que curiosamente só passou a existir no século XX.

Al Khazneh é considerada uma das sete maravilhas do mundo moderno. O ambiente peculiar onde se encontra a escultura é formado por arenito rosa avermelhado, o que fez aquela região ser procurada para diversas produções fílmicas famosas, documentários e novelas. 

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

As ruínas que restaram de Petra foram redescobertas pelo explorador suíço Johann Ludwig Burckhardt, em 1812. A partir daí o local se tornou objeto de curiosidade para visitantes e arqueólogos. Petra é hoje o sítio arqueológico mais importante da Jordânia. El Khazneh é a escultura remanescente mais requintada. O local é procurado por visitantes de todo o planeta. Em 1985 a Unesco reconheceu Petra como Patrimônio da Humanidade.

A região onde se encontra o atrativo é conhecida na Bíblia desde tempos antigos por Edom. Foi a terra povoada pela descendência de Esaú, irmão de Jacó. O profeta Malaquias faz referência à aridez da paisagem de Edom associando-a a terras devastadas, moradas de chacais do deserto.

Por volta dos séculos VI e IV a.C., a região foi conquistada pelos nabateus, uma tribo árabe mencionada em alguns textos bíblicos considerados apócrifos. Durante a hegemonia helenística da região, os nabateus tornaram-se inimigos poderosos dos sucessores de Alexandre, o Grande, uma vez que sua Capital, Petra, por conta da paisagem, era inacessível e praticamente inconquistável. Durante certo período os nabateus chegaram a se aliar aos Macabeus contra a dominação helênica.

Nos tempos do Novo Testamento o domínio dos nabateus ia de Gaza até o Eufrates, alcançando Damasco, cidade que entra nos relatos bíblicos. O apóstolo Paulo construiu história nesta cidade. Aretas IV, rei nabateu, é também mencionado na Bíblia e lutou contra Herodes Antipas por questões passionais que envolviam sua família. A Nabateia foi absorvida pela província romana da Arábia em 106 d.C.

O povo que deixou “O tesouro” se notabilizou pela arquitetura e pelo desenvolvimento de tecnologia para o armazenamento de água e irrigação, embora nem todos os nabateus fossem sedentários. No comércio a influência nabateia se estendeu por terra e por mar do Egito à China.  Al Khazneh é o testemunho em rocha arenítica desta civilização. 

 

O autor é professor da Unioeste

tarcisiovanderlinde@gmail.com

TOPO