Copagril
Elio Migliorança

AVALANCHE

Avalanche, que alguns escrevem avalancha, é um fenômeno que se verifica quando uma massa acumulada de neve repentinamente se movimenta de forma rápida e violenta arrastando tudo o que encontrar pela frente. Há uma sábia lição na avalanche, pois a neve tão branca e fofinha possui uma quantidade inimaginável de energia acumulada. Em equilíbrio é inofensiva, mas e quando desequilibra? Corra…
A reação popular no Oriente lembra uma avalanche. Do silêncio ensurdecedor das ruas, mantido a ferro e fogo por governos autoritários e arbitrários, surgiu um grito de liberdade que foi arrastando multidões e encurralando as forças opressoras comandadas por governos que se “eternizaram” no poder. Conheci o Egito em 1997 e recordo da reverência com que a população se referia ao seu presidente Hosni Mubarak, porém, o tempo, a opressão e a distância existentes entre o luxo dos governantes e a miséria da população fez o estômago falar mais alto e a população fez valer o ditado: povo unido jamais será vencido. Nem as ameaças de “arder no fogo do inferno”, comum aos radicais religiosos, conseguiram conter a massa furiosa. Começou na Tunísia, avançou Egito adentro e agora chegou à Líbia. Seguindo esta lógica geográfica, será que o movimento pode um dia chegar ao Maranhão? Quem sabe se tais ditadores tivessem se aconselhado com o Czar do Maranhão podiam ter descoberto a fórmula da “eternização” no poder.
Esta onda revolucionária, que parece ser irreversível, traz uma lição preciosa: ninguém consegue enganar a todos durante todo o tempo. Os modernos meios de comunicação abriram as portas para o mundo e na medida em que as pessoas conheceram o estilo de vida e a liberdade em outros países passaram a ter consciência do regime de força em que viviam. Bastou alguém dar o primeiro grito para que a multidão organizada exigisse reformas. Certamente a tecnologia, representada pelo celular, televisão e internet, foi peça estratégica na criação de uma consciência coletiva, fazendo as pessoas sonharem com a verdadeira cidadania. Aquela em que todos têm direito a usufruir dos bens produzidos no país. Que isto sirva de lição para as autoridades brasileiras. O povo está cansado. A “cara de pau” de muitos políticos, que são ágeis ao extremo para aumentar seus próprios salários e mordomias e lerdos ao concedê-lo ao trabalhador, com a desculpa que os municípios não suportam. É a história que foi contada na discussão do salário-mínimo. E nas aposentadorias então, as únicas que não prejudicam ao país são as concedidas aos privilegiados do “andar superior” do prédio chamado Brasil. Salário dos deputados e ministros foi aumentado muito acima da inflação em cinco minutos. Já para os outros…
Cuidado senhores administradores. O povo cansado pode ser difícil de controlar. A pergunta que não quer calar: o que se pode esperar de uma reforma política que tem Sarney no comando, e Collor, Itamar Franco, Francisco Dorneles & Cia. como principais membros da comissão? O que esperar de um Congresso que ainda não conseguiu regulamentar todos os artigos da Constituição de 1988? 

TOPO