Pref. MCR Novembro Azul.
Elio Migliorança

BALANÇO GERAL

É final de mais um ano, momento oportuno para olharmos no retrovisor e fazermos uma avaliação do que passou para planejarmos bem o ano vindouro. Há coisas para comemorar e outras para lamentar. Estamos vivos e isso tem um sabor especial. Muitos se despediram da vida neste ano. Alguns de forma inesperada e trágica, enquanto outros partiram serenamente depois de cumprida sua missão por aqui. Analisando as causas de muitas mortes, não podemos fechar os olhos para a responsabilidade daqueles que deviam ter feito algo e não fizeram. Estradas em condições precárias, culpa dos nossos administradores, mas também acidentes provocados por aqueles que não respeitaram a lei e assim acabaram provocando acidentes fatais. É importante cada um refletir sobre a sua responsabilidade na segurança dos outros.
Na área da saúde, muito a lamentar, pois o atendimento ainda não corresponde ao valor dos impostos que pagamos. Já na área da ética e moral avançamos e isso é positivo. Aos poucos a sociedade se dá conta da importância estratégica que é o combate à corrupção. Foram seis ministros classificados como ficha suja ou no mínimo suspeita e “convidados” a cair fora. Ponto para a presidente Dilma, que assim começa a provar que o crime não compensa. No Paraná, a Assembleia Legislativa tem sido tema de frequentes manchetes pela postura ética de sua mesa diretora. O último pacote inclui o corte do 14º e 15º salários que os deputados recebiam. Pasmem, um para serem desconvocados e outro para serem convocados. Quem de nós mortais comuns tem uma mamata destas?
Ah, temos uma parte sim: a conta quem paga somos nós.  E não esqueçamos, este é o primeiro passo. Deputados federais e senadores recebem isso desde os anos 90. Mas todos eles juram na maior cara de pau que a vida pública é muito estressante.
Na área da educação, milhares passaram no vestibular e estão no Ensino Superior, e outros concluíram o curso superior e estão no mercado de trabalho. Nossa produção aumentou e apesar da crise lá fora aqui a economia ainda cresce.
Na esfera espiritual talvez esteja a maior fonte de questionamento. Afinal, para onde está caminhando minha vida? O que conseguimos realizar neste ano que nos deixa satisfeitos? E se pudesse voltar ao início do ano, o que é que eu faria diferente? Do que me arrependi neste ano, e o que fiz que me deixou muito feliz? E se eu morresse amanhã? O que faltou fazer? A quem eu deixei de dizer que amava? Qual foi o abraço que faltou e que eu não podia partir sem tê-lo dado? Podem ser perguntas óbvias, mas que assumem um significado e uma dimensão gigantesca quando o final realmente se concretizar. Pois então, o Natal está aí e o ano novo logo em seguida, tempo oportuno para se prevenir e concretizar o que as perguntas motivaram a pensar. É uma espécie de seguro partida, caso eu realmente vá, nada ficou pendente.
E a todos os que me acompanharam neste ano, através da leitura de meus textos, não basta um simples obrigado, foi muito mais que isso, foi uma comunhão de ideias e uma interação extraordinária poder dialogar com todos. Que o Natal traga para dentro do seu coração o amor e a bondade de Deus e que 2012 seja um ano de paz, saúde e que seus sonhos se realizem.

TOPO