Pref. Pato Bragado Natal em Canto 2019
Elio Migliorança

Pachamama

Na Cordilheira dos Andes vivem os povos andinos que ainda falam a língua quéchua. Segundo eles, pacha significa mundo e mama é equivalente à mãe. Por isso pachamama para os povos andinos significa mãe terra. Pachamama é quem protege os habitantes da terra e lhes fornece em abundância água, alimentos, a sombra das árvores, o canto dos pássaros, a lua, o sol, as estrelas, o orvalho da manhã e a brisa suave dos ventos que auxilia a polinização das flores que produzirão frutos. Nesta sexta-feira (10) termina o Show Rural em Cascavel, que mostrou tudo isso e muito mais. Mostrou a face do Brasil que dá certo, apesar dos contratempos causados pelo clima, pela voracidade com que o governo tem tributado o agronegócio, pelo abusivo pedágio cobrado nas rodovias federais e como sobremesa neste coquetel de injustiças temos as invasões indígenas em terras produtivas, legalmente adquiridas por seus proprietários, muitos deles residindo na propriedade há mais de 50 anos.

O Show Rural é a prova da garra e eficiência do agricultor brasileiro, qualidades nem sempre presentes na gestão política nacional. No Oeste paranaense estamos em fase de colheita. O ronco das máquinas é como o galo que anuncia o amanhecer, pois nem clareou o dia e lá estão os artistas do agronegócio partindo para a labuta diária que no momento colhe os frutos de muito suor e dedicação. Nos pontos altos da região é possível visualizar as colunas de poeira que sobem aos céus a partir de cada colheitadeira em ação, e logo na rabeira vem o trator com a plantadeira abrindo novos sulcos na terra e depositando ali a esperança da próxima safra, que no passado se chamava safrinha, mas com o avanço da tecnologia e investimento em qualidade mudou o nome para segunda safra.

Casa do eletricista TRATAM. E ACESS.

O agricultor comemora a colheita, uma generosidade da mãe terra que mandou a chuva na hora e na quantidade certa. Apesar da euforia é bom ficar atento às manobras governamentais que podem estragar esta alegria. No ano passado fomos surpreendidos com o golpe do ICMS sobre energia elétrica pelo Governo do Estado, que cobrou milhões de reais dos agricultores obrigando todos a um recadastramento ridículo, mas que não resultou em devolução dos valores indevidamente cobrados. Qual será o golpe neste ano não sabemos, mas é bom ficarmos espertos e saber que não podemos contar com nossos deputados que, via de regra, fazem o jogo do poder.

Embora os índios tenham se aquietado na região de Guaíra e Terra Roxa, avançam sobre áreas produtivas no vizinho Mato Grosso do Sul, outra injustiça patrocinada por órgãos do mesmo governo que se beneficia da produção do agronegócio. E enquanto escrevo este artigo foi divulgado que o presidente Temer indicou o ministro da Justiça Alexandre Moraes para ocupar a vaga no Supremo Tribunal Federal. Em minha opinião, uma péssima escolha. Quem é Alexandre Moraes na ordem do dia? Alguém que chegou ao Ministério da Justiça por conta de um conchavo político entre o PMDB e PSDB, ambos sequiosos em ocupar espaço político e poder, nada preocupados se isso é bom ou não para o país e sua população. Com tantos juristas renomados e juízes de carreira merecedores desta vaga, somos obrigados a engolir mais essa. Para completar a dose só precisa ainda nomear Renan Calheiros para o Ministério da Justiça.

TOPO