Copagril
Elio Migliorança

SOCIALIZAÇÃO OU SACANAGEM?

O primeiro a me enviar o texto foi um leitor de Cascavel. Depois vários outros. Se a experiência de fato aconteceu ou não acabou sendo secundário. Resolvi contar. Até porque vários fatos mostram que no Brasil estamos caminhando nesta direção. Eis o fato: um professor de economia disse que nunca havia reprovado na Universidade um só aluno antes. Mas tinha uma vez, reprovado uma classe inteira. Esta classe em particular tinha insistido que o socialismo realmente funcionava, ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e até justo. O professor então disse: ok, vamos fazer um experimento socialista nesta classe. Ao invés de dinheiro, usaremos suas notas em testes. Todas as notas serão concedidas com base na média da classe e, portanto, serão justas. Com isso quis dizer que todos receberiam as mesmas notas, o que significou que ninguém repetiria a matéria. Isso também quis dizer claro, que ninguém receberia um 10. Depois que a média das primeiras provas foram tiradas, todos receberam 7. Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado, obviamente. Quando o segundo teste foi aplicado, os preguiçosos estudaram menos ainda, eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma. Aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que eles também se aproveitariam do “trem da alegria” das notas. Portanto, agindo contra suas tendências, eles copiaram os hábitos dos preguiçosos. Como resultado, a segunda média dos testes foi 3. Ninguém gostou. Depois do terceiro teste, a média geral foi um 2. As notas não voltaram a patamares mais altos, mas as desavenças entre os alunos, buscas por culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela classe. A busca por justiça dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte daquela turma. No final das contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar o resto da sala. Portanto, todos os alunos repetiram, para sua total surpresa. O professor explicou que o experimento socialista tinha falhado porque ele foi baseado no menor esforço possível da parte de seus participantes. Preguiça e mágoas foi seu resultado. Sempre haveria fracasso na situação a partir da qual o experimento tinha começado. Quando a recompensa é grande, ele disse, o esforço pelo sucesso é grande, pelo menos para alguns de nós. Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros sem seu consentimento para dar a outros que não batalharam por elas, então o fracasso é inevitável. Aí está. Para a distribuição de bolsas a torto e a direito, alguém tem que trabalhar. E no dia que os produtores de bens resolverem parar de trabalhar e entrar na fila da distribuição de bolsas? Que tal uma socialização à “La Venezuela” que conseguiu quebrar o País? Estamos socializando as despesas, protegendo o vandalismo praticado por certas organizações, mas o trabalho fica para uma minoria que carrega o País nas costas.

TOPO