Ford Ka 2020
Arno Kunzler

Acreditando dá certo

Poucos lugares têm um espaço tão privilegiado como Porto Mendes, distrito de Marechal Cândido Rondon, para promover eventos.

O fim de semana mostrou mais uma vez que acreditando dá certo.

Casa do eletricista TRATAM. E ACESS.

É possível promover eventos que sejam bons para quem vai se divertir e especialmente bons para boa parte dos comerciantes de Porto Mendes e consequentemente toda a comunidade local.

O lago é um atrativo natural, que, somado ao camping, forma um conjunto interessante capaz de atrair gente.

Quando boas ideias se juntam à vontade de fazer, capacidade de realizar e investimentos certos, é possível ter sucesso.

O clima foi generoso, mas o que mais funciona são as ações, sejam elas de governos, empresas ou entidades.

Desenvolver o turismo é um processo difícil e custoso.

Em nenhum lugar do mundo isso aconteceu sem investimentos, planejamento, estratégia e persistência.

Precisamos acreditar no turismo para dimensionar sua importância para uma cidade/região.

O Paraná sob os olhos do seu governador Ratinho Junior quer desenvolver ações para o turismo regional.

O Governo do Estado percebe que essa atividade econômica é muito importante e o Paraná tem grande potencial inexplorado.

Porto Mendes é um bom exemplo.

Antes faltava acesso; as rodovias de acesso estavam em péssimo estado durante décadas.

Agora tem acesso bom, tanto para quem vai de Marechal Cândido Rondon como para quem vai de Mercedes.

A sede do distrito de Porto Mendes também ganhou melhorias, ainda tímidas, mas suficientes para fazer as pessoas acreditarem que existe hoje uma prioridade.

O que ainda falta para Porto Mendes se tornar um local mais procurado e frequentado durante o ano todo são melhores acessos ao lago e os famosos píeres.

Segundo o secretário de Indústria, Comércio e Turismo, Sérgio Marcucci, que passou o fim de semana em Porto Mendes vendo as dificuldades que as lanchas têm para acessar o lago, a prefeitura fará os atracadouros tanto dentro do parque como do lado esquerdo fora do parque.

O secretário também reafirmou que os píeres serão construídos em ambos os atracadouros.

Porto Mendes poderia ter 500 ou mil embarcações mantidas no distrito em sistema de aluguel se houvesse um acesso melhor e facilitado em períodos em que o nível do lago fica mais baixo.

Hoje deve ter menos de 300 embarcações guardadas nos três barracões que atendem esse tipo de serviço.

As empresas locais poderiam ampliar, gerar mais empregos e atrair dezenas de pessoas todos os dias a Porto Mendes.

Isso é um sonho, eu sei, mas é um sonho possível a médio e longo prazo, e como diz o texto, turismo é um projeto de longo prazo.

Lembrando que o mais importante já existe: o lago e a estrutura de camping.

Falta pouco para ser um excelente atrativo turístico regional, mas é preciso continuar investindo e acreditando que dá certo.

Parar de investir e desistir do sonho é jogar pelo ralo tudo que foi investido em quase 40 anos e enterrar todos os sonhos passados que vêm desde 1982, quando o lago se formou.

 

Arno Kunzler é jornalista e diretor do Jornal O Presente e da Editora Amigos da Natureza

arno@opresente.com.br

TOPO