Brincando na Praça 2019
Elio Migliorança

APROVEITADORES DE PLANTÃO

Quanto mais conheço as pessoas, mais admiro os animais, disse alguém para espanto da plateia que o escutava. Passado o susto inicial e observando melhor, descobrimos que ele tinha razão. Impressionante como algumas pessoas se aproveitam de situações ou da profissão que exercem para explorar o próximo na maior cara de pau. Quando nossa região foi atingida por um temporal, algumas lojas de materiais de construção alteraram na madrugada os preços de produtos que seriam utilizados para socorrer os que foram prejudicados. Agora é a vez dos proprietários de estabelecimentos que vendem máscaras, álcool, álcool em gel e medicamentos. Enquanto um estabelecimento vendia 500ml de álcool em gel por R$ 3,50, uma farmácia teve a ousadia de pedir R$ 4 por 100ml. Máscaras então variam de preço conforme a cara e o medo do freguês de ficar doente.
A corrida à compra do Tamiflu foi outra piada de mau gosto. Caravanas foram ao Paraguai para garantir o medicamento, caso fosse necessário, e logo se instalou um comércio paralelo com preços variando de R$ 50 a R$ 150 a cartela. E a maioria são pessoas que frequentam sua igreja nos finais de semana, se dizem cristãos e acham normal esta exploração. Fico pensando: que oração fazem tais pessoas? Talvez seja assim: “Deus obrigado por ter colocado mais um otário no meu caminho, para aumentar meu lucro. Obrigado pela doença que se espalhou, pois assim consegui pagar minhas contas atrasadas”.
Os animais não agem assim. Se há comida no estábulo nenhum vai morrer de fome. Os animais só agridem para se defender, só tomam a iniciativa do ataque quando provocados ou treinados para tal. Não exploram nem humilham seus semelhantes. Convivem pacificamente no mesmo ambiente. Cadê então nossa humanidade? Onde estão os nossos sentimentos de solidariedade e amor ao próximo? Como podemos cobrar ética e decência dos outros se exploramos nosso próximo? Será o dinheiro e o lucro a única finalidade da vida humana?
O lucro é inerente à atividade comercial. Mas que seja um lucro decente, pois todo o lucro obtido de forma injusta acabará voltando-se contra o próprio explorador. A natureza se vinga de toda a agressão. É assim também com o ser humano. Os aproveitadores um dia pagarão o mal que fizeram aos menos favorecidos. De que forma? Não sei, mas acredito que alguém superior tem o poder do ordenamento das coisas de forma que a justiça se fará mais cedo ou mais tarde.
Lutar para conquistar um objetivo ou realizar um sonho é legítimo. O que não podemos admitir é a conquista de um patrimônio à custa do suor, sangue e exploração do outro. Para concluir, o troféu cara de pau devia ser concedido à Câmara dos Deputados, que requereu ao Ministério da Saúde a disponibilização do medicamento Tamiflu para ser utilizado em caso de necessidade pelos deputados e funcionários da Câmara. Ora, com tanta gente contaminada precisando do medicamento, com a saúde pública em situação caótica, é no mínimo desumana a pretensão de guardar medicamentos de forma preventiva. Nem sabem eles o quanto a população vibraria se alguns políticos contraíssem o vírus. Aí seria o caso de exclamar: coitado do vírus lá dentro.

TOPO