Pref. MCR – OktoberFest MCR 2019
Arno Kunzler

O que será dos jornais?

 

Frequentemente me perguntam se tenho algo a dizer sobre o futuro dos jornais impressos.

Até porque O Presente estará em sede nova até o final do ano, ampla e preparada para grandes desafios, cujo investimento final se aproxima de R$ 2 milhões.

Casa do Eletricista ESCAVAÇÕES

Muito dinheiro para uma atividade que está sob constantes questionamentos. Sim, é verdade.

Como membro de uma entidade que congrega os principais jornais do Paraná, a Associação dos Jornais Diários do Interior do Paraná (ADI-PR), é bom que as pessoas saibam que esse assunto é debate constante.

Há pelo menos 20 anos, com os primeiros passos da internet, já se fala nisso.

Quero compartilhar aqui com os nossos leitores e assinantes o meu testemunho e minhas perspectivas em relação ao futuro do jornal impresso.

Muitas coisas já mudaram nos últimos tempos, muitos negócios desapareceram, muitas atividades deixaram de existir.

É provável que a sobrevivência dos jornais impressos realmente seja uma ameaça, mas ela é uma ameaça maior e mais iminente para os empresários do setor que não conseguem ampliar o leque de ações.

Assim, posso dizer com convicção de quem está investindo nisso, que acredito no impresso, não como jornal de notícias factuais.

Acredito no impresso como um veículo para levar ao seu leitor um conteúdo diferenciado, algo que não se encontra na internet GRATUITA.

Assim, estamos migrando. Não queremos ter um jornal, queremos, sim, ter uma empresa jornalística que publica seu conteúdo em várias plataformas diferentes.

Eu posso nem acreditar no jornal impresso, mas acredito fielmente no jornalismo de qualidade, responsável, independente, plural e bem intencionado.

Nisso eu acredito e certamente os leitores que nos acompanham perceberão que para estar bem informado é preciso mais do que ler mensagens no WhatsApp.

Por isso as pessoas continuam comprando o Jornal O Presente, porque sabem que nele encontram conteúdo interessante.

Por isso os anunciantes continuam usando O Presente para mostrar seus produtos e serviços.

E por sermos uma empresa jornalística séria e com várias plataformas é que temos hoje o melhor e talvez o maior jornal rural do Brasil sendo produzido em Marechal Cândido Rondon.

É por isso que temos um site que neste mês chega próximo a dois milhões de visualizações de páginas, passando a integrar uma pequena lista dos mais importantes sites de notícias do Paraná.

É por isso que mensalmente lançamos no mercado um produto alternativo em formato de revista que aborda temas relevantes para serem colocados ao conhecimento e debate, apoiados pelos nossos empresários.

É por acreditar no jornalismo que conseguimos manter nossos leitores fiéis como “assinantes” do nosso jornal bissemanal, gente que paga para receber o conteúdo produzido pela nossa equipe de jornalismo, porque acredita que o que publicamos tem credibilidade.

É por acreditar que uma cidade pode ser muito melhor quando tem um bom jornal que nos dedicamos tanto para manter O Presente forte e alinhado com os grandes temas que geram os debates regionais.

Nossa missão é produzir conteúdo jornalístico de qualidade e não vamos nos desviar desse caminho, nem por paixões políticas, nem por paixões de qualquer natureza.

A sensatez e o compromisso de informar são deveres de todos os nossos jornalistas.

É por isso e só por isso que as pessoas pagam para ter O Presente em suas empresas e em suas casas.

 

Arno Kunzler é jornalista e diretor do Jornal O Presente e da Editora Amigos da Natureza

arno@opresente.com.br

TOPO