Editorial

A região e suas bandeiras

O Fórum Empresarial da Infraestrutura e Logística do Paraná, que reuniu lideranças estaduais e regionais na Associação Comercial e Empresarial de Marechal Cândido Rondon (Acimacar), na última sexta-feira (06), trouxe boas notícias para toda a região Oeste do Estado. A infraestrutura de Marechal Rondon vai ganhar mais R$ 3 milhões, recursos que serão empregados para duplicar o prolongamento da Avenida Rio Grande do Sul, no trecho entre o supermercado Copagril II e a entrada da estrada do Clube Lira. Outra notícia dada é que o Estado pretende retomar as obras do Contorno Oeste, paralisadas desde o ano passado por problemas de desapropriação. E que a sede própria do Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron) é uma questão de tempo.

Para Entre Rios do Oeste foi assinado convênio para a construção do trevo de acesso à fábrica de rações da Copagril, localizada na PR-495. Para ela, serão destinados cerca de R$ 1 milhão, com previsão de entrega já para o segundo semestre deste ano. Há ainda a construção de um trevo de acesso à PR-497 em São Miguel do Iguaçu (R$ 1,3 milhão) e uma rotatória na PR-495, em Missal (R$ 792 mil).

Casa do Eletricista – RETOMA

Mas teve município não contemplado que arregaçou as mangas e tratou de reivindicar melhorias com a presença do primeiro escalão do Governo do Paraná no Oeste. A Prefeitura de Guaíra pediu apoio da Itaipu para a modernização do sistema de iluminação pública da Ponte Ayrton Senna, que liga o Paraná ao vizinho Mato Grosso do Sul. A obra está orçada em aproximadamente R$ 1,8 milhão.

São obras bastante importantes, que vão melhorar a segurança das cidades e do trânsito, poderão evitar a perda de vidas, além de dar mais lastro para o desenvolvimento econômico e social do Oeste paranaense. São boas notícias colhidas no 1º Fórum Empresarial da Infraestrutura e Logística do Paraná. Em momento tão delicado da economia brasileira, essas obras vão ajudar na geração de empregos e na movimentação financeira desses municípios.

Mas velhas e necessárias demandas do Oeste do Paraná vão continuar pedindo passagem, como a extensão da Ferroeste até Guaíra (ou ao Mato Grosso do Sul), além de muitas novas que irão surgir.

Todas as conquistas devem ser valorizadas, mas a sociedade não pode deixar de seguir cobrando o que é fundamental para o desenvolvimento regional, com atitude e comprometimento.

Bandeiras precisam ser carregadas e levadas adiante, sensibilizando lideranças e governos. O Oeste do Paraná tem um potencial gigante que não pode ser represado nas suas grandes demandas. A região merece obras estruturais importantes.

TOPO