Editorial

A selfie de R$ 2,3 milhões

O prefeito Marcio Rauber voltou de Brasília com uma selfie acompanhado do presidente Jair Bolsonaro e com R$ 2,3 milhões para serem investidos na coleta seletiva de lixo. O projeto produzido pela equipe da Prefeitura de Marechal Cândido Rondon conquistou a equipe do governo federal, que o colocou como o segundo melhor entre mais de 1,1 mil inscritos.

O Ministério do Meio Ambiente selecionou ideias inovadoras e sustentáveis para a gestão de resíduos sólidos. A proposta rondonense é para a construção de um pátio de compostagem para os resíduos de poda da arborização urbana, corte de grama, varrição de ruas e também para coleta de resíduos orgânicos domiciliares de um bairro piloto a ser escolhido. Também está prevista a compra de caminhões para a coleta de resíduos orgânicos e recicláveis, aquisição de contentores/caçambas para a área central, além de equipamentos para as associações de catadores, como esteiras de triagem, prensas, balanças, campanhas educativas, entre outros.

Casa do Eletricista – RETOMA

A chegada de recursos para serem aplicados no município por si só já é uma excelente notícia, mas se torna ainda mais atraente porque serão investidos em uma área que sistematicamente é alvo de reclamações da população. A coleta de lixo no município pode até ser considerada boa, razoável, mas muita gente ainda reclama da falta de periodicidade e da demora entre uma recolha e outra, especialmente do resíduo reciclável. Isso pode ser resolvido com a compra de caminhões e ampliação das equipes de coleta e limpeza.

Por outro lado, a poda urbana e a varrição das ruas produzem um volume gigantesco de resíduos. Nos últimos anos, o local onde esses materiais são depositados sofreram com incêndios, criminosos ou não. Um pátio de compostagem seria bastante interessante para dar uma destinação ambientalmente mais adequada a esse tipo de materiais.

Os locais onde são feitas a separação dos resíduos recicláveis ainda podem ser melhorados. Faltam equipamentos e organização para que de fato o município figure entre os melhores recicladores. Aliás, muito pouco do reciclável produzido é de fato destinado à reciclagem. Isso é culpa da população, que está sendo conscientizada paulatinamente e ainda não adotou rigorosamente a separação, mas também não é incomum observar o caminhão que vai para o aterro levar o material das lixeiras de recicláveis.

Um município como Marechal Cândido Rondon não pode ficar parado no tempo, precisa evoluir, ampliar seus recursos e instrumentos para que a população tenha uma gestão eficiente em todos os serviços públicos. A coleta de lixo, que causa dor de cabeça em muitas cidades, deve ganhar novo ritmo a partir deste ano.

Há ainda muitos desafios para que a gestão dos resíduos seja de fato eficiente em Marechal Rondon, mas é bom saber que as autoridades têm consciência disso e que estão trabalhando para mudar essa realidade. Então, mãos à obra. A selfie fica de recordação para o prefeito Marcio Rauber. A conquista fica de legado para toda a população.

TOPO