Editorial

Bom é ter, melhor é não precisar usar

 

Foi inaugurada ontem (11) em Marechal Cândido Rondon, em sede própria, uma unidade do Procon, órgão dedicado à proteção dos direitos dos consumidores. Foram muitos anos de reivindicações, negociações e promessas, mas a estrutura tão desejada e importante para equilibrar as relações entre empresas e consumidores não saía do papel. Agora, denúncias de eventuais abusos, inconsistências e inobservâncias cometidos por donos de comércios, indústrias e prestadores de serviços têm endereço certo: Rua Santa Catarina, próximo ao cruzamento com a Rua Independência.

O Departamento Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor – Procon/PR – é um órgão subordinado à estrutura da Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania. Foi criado em 1991 com o objetivo principal de orientar, educar, proteger e defender os consumidores contra abusos praticados pelos fornecedores de bens e serviços nas relações de consumo. Quase 30 anos mais tarde, ele finalmente chega a Marechal Cândido Rondon.

Mais que receber denúncias, o Procon pode ter um papel pró-ativo, investigando supostos cartéis, promovendo listas de preços em épocas especiais, como na Páscoa ou no retorno às aulas, por exemplo, para ajudar o consumidor encontrar aquele determinado produto no comércio que pratica os melhores preços. São várias as ações que o Procon pode desempenhar no município, desde que seus servidores estejam devidamente empenhados em trabalhar e cientes da importância que essa entidade tem dentro das relações de consumo. Cinco profissionais – um coordenador-geral, um subcoordenador, um servidor público e dois estagiários – vão ser os responsáveis por fazer este equipamento público ter vida própria.

O esforço de muita gente garantiu que essa demanda fosse suprimida, mesmo que tenha levado anos para que essa importante instituição se tornasse realidade. Foram anos e mais anos de negociações, que iam e voltavam, mas felizmente com desfecho favorável à democracia e aos anseios de uma sociedade mais justa e honesta.

Ganham os consumidores, mas ganham também os próprios empresários, pois aqueles eventualmente desleais têm mais chances de serem denunciados, investigados e punidos, produzindo assim um ambiente de negócios mais harmônico. A chegada dessa entidade só tem a produzir efeitos positivos no comércio local, inclusive acirrando a concorrência entre empresas do mesmo ramo de atuação, o que beneficia diretamente o consumidor com preços mais atraentes. Mas, reforçando, é preciso que as pessoas sejam pró-ativas, que façam valer todo o esforço que ao longo de muitos anos foi desprendido para que hoje as portas dessa entidade estejam abertas.

É uma conquista muito importante para os consumidores da região de Marechal Cândido Rondon, que ganham um canal para que possam ser ouvidos com mais facilidade sobre seus problemas, por assim dizer, envolvendo as compras. É uma vitória da comunidade inteira. Os consumidores agora têm mais uma ferramenta para proteger seus direitos nas relações comerciais. É daquelas instituições que o brasileiro nunca quer usar, mas é bom tê-la por perto, caso preciso for. Bom é ter, melhor é não precisar usar.

TOPO