Ecoville – Maior rede de limpeza
Copagril
Editorial

Dinheiro pra quê?

O dia 02 de julho vai marcar uma nova rodada de assinaturas de convênios envolvendo a Itaipu e prefeituras do Oeste do Paraná. A partir deles será liberada uma quantia significativa de recursos para obras e ações nas mais diferentes áreas. A binacional abre seus vultuosos cofres para beneficiar os municípios da região e não somente aqueles banhados pelo seu lago.

As assinaturas acontecem menos de três meses depois de a hidrelétrica assinar outros tantos convênios. As lideranças políticas estão eufóricas com a generosidade de Itaipu, que tem demonstrado mais interesse em discutir com os municípios as suas necessidades para então propor parcerias para encontrar as soluções. A Itaipu abriu as portas para que os municípios levassem as suas demandas. Isso, sem sombra de dúvidas, é uma atitude coerente, que direciona mais especificamente os recursos para onde os municípios mais precisam.

Casa do eletricista MINIESCAVADEIRA

Os municípios do Oeste paranaense vivem realidades bastante distintas. Enquanto umas cidades estão melhor estruturadas, outras ainda sofrem muitas dificuldades, têm baixos índices de desenvolvimento humano, poucas oportunidades para os jovens e uma renda da população bem abaixo da média, como Diamante do Oeste, Ouro Verde, Jesuítas e Ibema. Por isso, é importante que os projetos desenvolvidos sejam feitos de acordo com as peculiaridades e individualidades de cada localidade.

E as necessidades são as mais variadas. Tem gente que precisa de melhorias nas estradas rurais, outros precisam de postos de saúde, outros ainda demandam por mais segurança. Tem aqueles que precisam aportes para a realização de eventos culturais ou de cunho educacional, há quem precise asfalto, há quem precise mais projetos habitacionais. Outros querem mais investimento no turismo, no lazer etc. O que não falta é demanda por melhorias.

Faz muito bem a Itaipu, com sua nova gestão e nova maneira de gerenciar suas parcerias, olhar para os municípios com mais carinho, longe da frieza dos números e de projetos que talvez não fariam tanta diferença na vida das pessoas, no cotidiano da população. Individualizar é demonstrar não somente compromisso social, mas também respeito aos recursos públicos que a gigante da energia elétrica mundial engaveta com sua geração e capacidade administrativa para entender que não tratam-se apenas de projetos, mas de soluções.

Notadamente uma das grandes responsáveis pelo desenvolvimento do Oeste, a Itaipu Binacional vem demonstrando que está disposta a manter e ampliar sua parceria com a região onde está encravada. Mais que energia para o Brasil e Paraguai, ela produz desenvolvimento para inúmeras comunidades. Agora, mais humana, sem dúvidas avança também no modelo de governança e abre caminhos para uma relação cada vez mais próxima, amigável e lucrativa com os municípios de toda a região.

TOPO