Copagril
Editorial

Salve a Lava Jato

 

Os diálogos revelados pelo site The Intercept entre o ex-juiz Sergio Moro, agora ministro da Justiça e Segurança Pública, e o procurador da República, Deltan Dallagnol, colocaram em xeque a Operação Lava Jato. A esquerda quer, de toda e qualquer forma, mesmo que isso pareça a coisa mais insana a se fazer, desacreditar o Ministério Público Federal, que nos últimos anos tem conduzido a maior operação de combate à corrupção na história do Brasil.

A Lava Jato, como nenhuma outra operação, colocou centenas de mafiosos na cadeia, restituiu em R$ 13 bilhões os cofres públicos, evitou o desmonte geral da Petrobras e outras empresas estatais, descortinou a prática criminosa que há décadas perdurava entre governos e grandes empreiteiras, moralizou, mesmo que modestamente, o campo político, colocou medo naqueles que historicamente sacanearam a nação.

Casa do Eletricista LORENZETTI

Na quarta-feira (12) à noite mais conversas foram divulgadas e as autoridades perceberam que o hacker que invadiu os celulares de Moro e Dellagnol também obteve informações e conversas de membros dos três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e até de um jornalista. O furo é mais embaixo.

Apesar de não ser ético o contato entre promotores e juízes, as conversas não revelam absolutamente nada a não ser mecanismos para a manutenção da própria Lava Jato. No entanto, a esquerda tenta demonizar a operação e desacreditar seus principais personagens. Ir contra a Lava Jato é ir contra o Brasil, acima de tudo. Essa operação foi e é a melhor coisa que aconteceu no Brasil e para os brasileiros nos últimos anos. Não há motivo real para descredibilizar a Lava Jato a não ser o próprio interesse que as pessoas têm com seu fim.

Moro e Dallagnol, até que se prove o contrário, são dois dos mocinhos nessa história. A Lava Jato é ruim, sim, mas para os bandidos que estão hoje pagando pelos seus crimes atrás das grades. E para outros tantos que surgirão, sem sombra de dúvidas. A Lava Jato é uma dádiva para o povo de bem que habita esse país.

Neste domingo (16), em frente à Justiça Federal, em Curitiba, acontece uma manifestação de apoio à operação. Certamente, como não poderia deixar de ser, haverá gente contrária a Moro e companhia. Até aí tudo bem. Só fica difícil de entender o motivo pelo qual alguém consegue ser contrário, repetindo, à maior operação de combate à corrupção na história desse país.

Estão tentando destruir a imagem dos mocinhos, mas os verdadeiros bandidos são os únicos a serem beneficiados com o desmonte da operação. Obviamente que isso não vai acontecer, dada a relevância e o corpo que a operação ganhou no Brasil desde o seu início, em 2014. Lá se vão quase cinco anos prendendo “gente” do colarinho branco, revelando crimes e ressarcindo a União com um pouco de tudo aquilo que foi roubado.

Não tirem a Lava Jato do Brasil. No futuro, ela será conhecida como aquele tal divisor de águas. É preciso valorizá-la e defendê-la no presente. Salve a Lava Jato.

TOPO