Ecoville – Maior rede de limpeza
Editorial

Só economizando para não faltar

Uma combinação perigosa de calor excessivo e falta de chuvas tem comprometido o abastecimento de água em várias cidades do Paraná. Segunda-feira (25) começou em Marechal Cândido Rondon um racionamento de água que pode até se tornar falta de água caso a população não contribua e reduza o consumo em pelo menos 20%, segundo o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae).

Ainda conforme a autarquia rondonense, atualmente a população consome cerca de 15 milhões de litros de água por dia, o que é a capacidade total de captação do sistema. Em alguns pontos da cidade, a pressão nos canos vai diminuir. Ou seja: menos água será ofertada.

Casa do eletricista MINIESCAVADEIRA

Essa é a hora de colocar em prática algumas regras básicas, como evitar lavar automóveis, encher piscinas, regar quintais em demasia e lavar calçadas. Também é bom o policiamento em algumas ações cotidianas, como banhos demorados e torneira aberta sem necessidade. Cada pessoa, no entanto, sabe como individualmente ela pode contribuir com essa causa coletiva. A consciência de cada um no uso racional da água se faz ainda mais necessária nesse momento de crise hídrica.

Se cada cidadão contribuir, é possível que Marechal Cândido Rondon passe sem grandes problemas por esse momento, até que rios e reservatórios retomem sua capacidade. Por outro lado, se você e seu vizinho deixarem isso só com os outros, muito provavelmente o município terá grandes problemas com racionamento e até falta de água.

A falta de chuva está começando a causar reflexos também no agronegócio. As lavouras de soja que foram instaladas mais cedo já contabilizam prejuízos. Com a dificuldade de desenvolvimento inicial, a planta perde seu potencial produtivo, o que reduz a quantidade e qualidade dos grãos. Para quem plantou mais tardiamente, os prejuízos são iminentes. Produtores acreditam que essa será a menor safra dos últimos seis anos. Sendo assim, os prejuízos são em cascata, já que a região depende muito do dinheiro do agronegócio para girar a economia do comércio e da prestação de serviços, especialmente.

Uma chuva de mais de 50 milímetros está prevista para esta quarta-feira (27) no município, o que pode ser um alento para as lavouras, gramados e jardins, mas é preciso muito mais para que rios, mananciais e lençóis freáticos retomem a robustez e o Saae consiga dar conta de toda a demanda.

Na cidade, mais que consumir água, os moradores precisam cuidar da água. Nas escolas, nas empresas, nas residências, o movimento de uso racional precisa ser constante, ininterrupto e feito por todos.

Marechal Cândido Rondon está vivendo um momento delicado. A falta de chuva e o consumo aumentado com a chegada dos dias mais quentes colocaram a cidade em alerta. E é preciso reagir com atitudes reais, proativas, que façam diminuir o uso dessa importante fonte de vida na Terra. Da hora de levantar até a hora de dormir, o exercício do consumo racional de água deve ser seguido à risca. Só economizando é que não vai faltar.

TOPO