Editorial

Instituições na UTI

Nem a prestação de serviços de saúde escapou dos impactos da pandemia de Covid-19. A União Oeste Paranaense de Estudos e Combate ao Câncer (Uopeccan), de Cascavel, registrou uma queda de cerca de 50% nas arrecadações. Para tentar minimizar a queda de receita, a instituição, também conhecida como Hospital do Câncer, está promovendo o Show de Prêmios Solidário, uma campanha que prevê a venda de cartelas por R$ 10 e o sorteio de R$ 33 mil em dezembro.

Não por menos, a manutenção da Uopeccan e da Casa de Apoio reserva números grandiosos. O hospital é o único Centro de Alta Complexidade em Oncologia do Paraná (Cacon), com unidades em Cascavel, em estrutura de 12 mil metros e 125 leitos, e em Umuarama, com 215 leitos em 18 mil metros quadrados. Centenas de profissionais são acionados todos os dias para cuidar de pessoas de todas as regiões do Paraná.

Casa do Eletricista – NÃO PAGUE AR

Em Marechal Cândido Rondon, o Conselho da Mulher Empresária tem uma parceria de uma década com o hospital. Todo o dinheiro arrecadado com as vendas de camisetas do Outubro Rosa, nos anos anteriores, foi repassado para a instituição hospitalar. Ao todo, mais de R$ 70 mil já foram revertidos para a Uopeccan. Neste ano, por conta da pandemia, a campanha em Marechal Rondon é encabeçada com a venda de máscaras. Quem puder, ajude! Compre para você, para um vizinho, amigo, para o colaborador de sua empresa. Além de ajudar a não propagar o vírus da Covid-19, você contribui para a nobre causa de salvar vidas acometidas pelo câncer, manter vivos os sonhos de milhares de pessoas que passam por essa tão cruel enfermidade.

A pandemia tem causado efeitos colaterais em muitas frentes. A queda de doações atingiu também o Lar Rosas Unidas, asilo de Marechal Rondon. As receitas quase desapareceram. São vários os motivos, mas deixar de realizar bingos, sorteios, almoços e jantares, que tinham seus lucros revertidos à entidade, é um dos principais problemas. E o pior: os gastos com a manutenção da casa e sanitização redobrada exigem mais recursos. Quem puder, ajude. Uma boa forma é destinar um valor que é cobrado na própria conta de água do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae). O dinheiro arrecadado é repassado integralmente ao asilo.

A Covid-19 trouxe infortúnios, dor e incertezas para toda a população mundial. Além de cuidar da saúde, é preciso cuidar dessas instituições tão importantes, que promovem um trabalho excepcional em prol da saúde e bem-estar de pessoas em situações vulneráveis. São “apenas” dois exemplos, mas instituições sem fins lucrativos e que prestam excelentes serviços sociais existem por todos os lados, compartilhando a mesma situação econômica imposta pela pandemia. Quem puder, olhe para o lado e contribua.

A cada dia que passa o mundo está mais próximo de uma vacina. Já foram sete meses de uma dura batalha, mas ainda é preciso cuidado redobrado com a saúde, evitando aglomerações e higienizando bem as mãos. Mais que isso, é preciso redobrar os cuidados com as importantes instituições que prestam serviços à população. A saúde delas também depende de todos.

TOPO