Copagril – Sou agro com orgulho
Editorial

Instituições na UTI

Nem a prestação de serviços de saúde escapou dos impactos da pandemia de Covid-19. A União Oeste Paranaense de Estudos e Combate ao Câncer (Uopeccan), de Cascavel, registrou uma queda de cerca de 50% nas arrecadações. Para tentar minimizar a queda de receita, a instituição, também conhecida como Hospital do Câncer, está promovendo o Show de Prêmios Solidário, uma campanha que prevê a venda de cartelas por R$ 10 e o sorteio de R$ 33 mil em dezembro.

Não por menos, a manutenção da Uopeccan e da Casa de Apoio reserva números grandiosos. O hospital é o único Centro de Alta Complexidade em Oncologia do Paraná (Cacon), com unidades em Cascavel, em estrutura de 12 mil metros e 125 leitos, e em Umuarama, com 215 leitos em 18 mil metros quadrados. Centenas de profissionais são acionados todos os dias para cuidar de pessoas de todas as regiões do Paraná.

Casa do Eletricista CÂMERAS

Em Marechal Cândido Rondon, o Conselho da Mulher Empresária tem uma parceria de uma década com o hospital. Todo o dinheiro arrecadado com as vendas de camisetas do Outubro Rosa, nos anos anteriores, foi repassado para a instituição hospitalar. Ao todo, mais de R$ 70 mil já foram revertidos para a Uopeccan. Neste ano, por conta da pandemia, a campanha em Marechal Rondon é encabeçada com a venda de máscaras. Quem puder, ajude! Compre para você, para um vizinho, amigo, para o colaborador de sua empresa. Além de ajudar a não propagar o vírus da Covid-19, você contribui para a nobre causa de salvar vidas acometidas pelo câncer, manter vivos os sonhos de milhares de pessoas que passam por essa tão cruel enfermidade.

A pandemia tem causado efeitos colaterais em muitas frentes. A queda de doações atingiu também o Lar Rosas Unidas, asilo de Marechal Rondon. As receitas quase desapareceram. São vários os motivos, mas deixar de realizar bingos, sorteios, almoços e jantares, que tinham seus lucros revertidos à entidade, é um dos principais problemas. E o pior: os gastos com a manutenção da casa e sanitização redobrada exigem mais recursos. Quem puder, ajude. Uma boa forma é destinar um valor que é cobrado na própria conta de água do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae). O dinheiro arrecadado é repassado integralmente ao asilo.

A Covid-19 trouxe infortúnios, dor e incertezas para toda a população mundial. Além de cuidar da saúde, é preciso cuidar dessas instituições tão importantes, que promovem um trabalho excepcional em prol da saúde e bem-estar de pessoas em situações vulneráveis. São “apenas” dois exemplos, mas instituições sem fins lucrativos e que prestam excelentes serviços sociais existem por todos os lados, compartilhando a mesma situação econômica imposta pela pandemia. Quem puder, olhe para o lado e contribua.

A cada dia que passa o mundo está mais próximo de uma vacina. Já foram sete meses de uma dura batalha, mas ainda é preciso cuidado redobrado com a saúde, evitando aglomerações e higienizando bem as mãos. Mais que isso, é preciso redobrar os cuidados com as importantes instituições que prestam serviços à população. A saúde delas também depende de todos.

TOPO