Fale com a gente

Editorial

Recomeço

Publicado

em

Um momento bastante esperado pelos rondonenses nos últimos anos, ao menos pelos que dependem de atendimento na saúde pública, enfim, aconteceu. Os partos via SUS voltam a ser realizados em Marechal Cândido Rondon.

É uma “dívida” antiga sendo paga à comunidade.

É um recomeço aos novos rondonenses, aqueles que vão poder nascer aqui, e não mais em Toledo ou então na rodovia, dentro de uma ambulância.

É um alento às gestantes que dependem do sistema público de saúde e até mesmo àquelas que pretendem ter filhos daqui para a frente.

É uma nova realidade.

A administração passada, que ficou por oito anos no governo, buscou viabilizar a realização de partos no Hospital Municipal, todavia sempre dava um passo atrás em função dos custos que isso traria ao município. O novo governo não se importou com os gastos, correu atrás e em pouco tempo tornou realidade o sonho de muita gente da comunidade.

Era uma promessa de campanha, era! E quando se promete do jeito que foi prometido, fica difícil não concretizar. Há muitos que avaliam esse retorno dos partos no Hospital Municipal como uma atitude inconsequente, diante dos investimentos feitos e dos que terão que ser empregados mensalmente.

Seja como for, audacioso ou não, o prefeito Marcio Rauber resolveu tirar a proposta do papel e fazer a coisa acontecer.

Desde que o último hospital particular do município que realizava os procedimentos descredenciou-se do SUS, em 2011, o caminho ao nascimento para aquelas famílias que não possuíam condições financeiras de bancar um parto de forma particular ou por convênio médico levava a Toledo. Foi lá que nasceram muitos rondonenses nestes últimos seis anos. Era preciso uma atitude. E ela veio.

Os custos dessa decisão, é verdade, serão grandes, mas, não se enganem os críticos, a maioria da comunidade – principalmente as famílias que tiveram a experiência de ter filhos em outro município e as que ainda as teriam – queria que os partos voltassem a acontecer em Marechal Rondon, e ponto final.

O anúncio do feito, ocorrido na manhã de ontem (1º), pelo prefeito Marcio Rauber e pela secretária de Saúde, Marciane Specht, por sinal, foi bastante prestigiado por autoridades, lideranças e pessoas ligadas ao setor de saúde. Foi um grande evento. Foi um grande dia para o governo municipal. Mas não se engane. Os louros estão sendo colhidos, entretanto, é preciso saber como será daqui para a frente. Se tudo vai funcionar em perfeita ordem e harmonia. Se o atendimento será de qualidade e por aí vai.

Com uma equipe médica e um centro cirúrgico estruturados, o Hospital Municipal Dr. Cruzatti será a casa de muitas gestantes a partir de agora, com a previsão de realização de até 30 partos por mês, contudo, a expectativa não morre por aqui. E o prefeito e sua equipe sabem disso, tanto que têm mais planos para a frente, como fazer ampliações no hospital e viabilizar a realização de cirurgias eletivas a partir do segundo semestre do ano.

Há muito o que fazer ainda. Que não faltem boas ideias, bons projetos e muita mão na massa. A comunidade agradece!

Continue Lendo

Facebook